Rodoviários mantêm rejeição a proposta patronal de corte nos salários

Rodoviários de seis empresas de Niterói decidiram, por maioria, nesta quinta-feira (13/8), aderir ao movimento de rejeição à proposta patronal de redução salarial e de benefícios durante a pandemia do coronavírus. Este foi o quarto dia de assembleias da categoria e significou a manutenção do impasse nas negociações entre as companhias de ônibus e os trabalhadores. A votação do dia terminou em 359 contra as viações e 35 a favor.

Assembleia manteve a posição dos trabalhadores contra o corte nos salários

Participaram da assembleia rodoviários das companhias Araçatuba, Pendotiba, Miramar, Fortaleza, Santo Antônio e Expresso Garcia. O placar total das votações, nos quatro dias de reuniões entre os trabalhadores, agora é de 1.709 contra e 135 a favor da proposta patronal, com dez abstenções. Para o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac), Rubens dos Santos Oliveira, será difícil para os patrões reverterem o posicionamento da categoria nos próximos encontros de trabalhadores, que vão até 19 de agosto.

“A ampla maioria dos rodoviários quer a manutenção do Acordo Coletivo, além de estabilidade no emprego por três meses”, informa Rubens.

A proposta patronal atual é de pagamento de 50% dos salários e redução no valor da cesta básica, que passaria de R$ 280 para R$ 120. Os rodoviários querem a manutenção do Acordo Coletivo, que vigora até 1º de novembro, além de todos os benefícios, inclusive com férias e 13º salário integrais, e estabilidade no emprego por três meses.

A posição dos rodoviários será encaminhada ao Ministério Público do Trabalho (MPT), órgão mediador das negociações, logo após o final da rodada de assembleias. Nesta sexta-feira (14/8) será a vez dos trabalhadores das empresas Nossa Senhora do Amparo, Opção e 1001; dia 17, Ingá, Rosana, Transportes Peixoto, Brasília LTDA e Expresso Barreto; dia 18, Rio Ouro e Maravilha Auto Ônibus; e, dia 19, Auto Ônibus Asa Branca Gonçalense.

As assembléias estão sendo realizadas em dois turnos, às 10h e às 16h, em espaço aberto na sede social do Sintronac, em Niterói, há medição de temperatura para permitir a entrada dos trabalhadores e é obrigatório o uso de máscaras de proteção. Além dos trabalhadores, há a participação dos representantes das empresas para defesa de sua proposta.