Prefeitura de Niterói ameaça rodoviários com mais desemprego

Rubens dos Santos Oliveira

Presidente do SINTRONAC

 

Não bastasse a crise econômica, que tem atingido os trabalhadores rodoviários, provocando desemprego e o fechamento de empresas, a Prefeitura de Niterói resolveu, agora, dar mais um golpe contra a categoria. Anunciou, através de um jornal, que irá retirar de circulação 60% das linhas municipais da Região Oceânica e estuda extinguir duas linhas intermunicipais, a Itaipu-Castelo, da Viação 1001, e a 770, da Pendotiba. Já sabemos no que isso vai dar: mais demissões e famílias desemparadas.

A Prefeitura alega que a linha BRT da Transoceânica, que ligará a Região Oceânica com Charitas, alimentando os catamarãs para o Rio de Janeiro, será suficiente para retirar linhas de ônibus das ruas e desafogar o trânsito na cidade. No entanto, a administração municipal resolveu tomar essa medida sem ouvir aqueles que mais entendem de trânsito, nós os rodoviários. Em nenhum momento nosso Sindicato foi consultado para opinar sobre essa iniciativa municipal.

Sabemos que retirar linhas de ônibus de circulação não resolve os nós no trânsito de um município, pois a origem do problema está exatamente na falta de investimentos em transporte público e a consequente expansão da frota de veículos de passeio, como grandes cidades, entre elas Nova Iorque, Londres, Barcelona e Chicago, já constataram.

Portanto, o único resultado que a Prefeitura de Niterói irá conseguir com essa medida é atingir a categoria rodoviária em um momento de extrema fragilidade econômica do País, deixando-a exposta a mais uma onda de demissões em massa nas empresas de ônibus.

O SINTRONAC irá recorrer ao Ministério Público para tentar barrar essa iniciativa da Prefeitura de Niterói. Ao mesmo tempo, pedimos aos companheiros que estejam mobilizados para as convocações do Sindicato, pois somente juntos poderemos enfrentar esse novo desafio, que uma administração irresponsável está nos impondo.