Sintronac pode bloquear contas da UFF e da Luso Brasileira

O Departamento Jurídico do Sindicato dos Rodoviários de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac) estuda medidas para assegurar o pagamento dos salários dos rodoviários e as respectivas indenizações, caso a Luso Brasileira encerre as atividades de prestação de serviços de ônibus com a Universidade Federal Fluminense (UFF). Entre elas está o bloqueio de contas, tanto da empresa, quanto da instituição de ensino, para que os trabalhadores tenham seus direitos garantidos.

Os rodoviários, prestadores de serviço à UFF, confirmam para a próxima terça-feira (9/4) a greve da categoria por conta do não pagamento dos salários de março pela Luso Brasileira, que deveria ter sido efetuado, por prazo legal, nesta sexta-feira (5/4). Desde o ano passado, a companhia tem atrasado os salários, as diárias de viagens e as horas extras dos profissionais.

Os municípios atingidos pela paralisação são Niterói, Angra dos Reis, Petrópolis, Campos dos Goytacazes, Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo, Rio das Ostras, Santo Antônio de Pádua, Volta Redonda e Macaé.

Na segunda-feira (8/4), às 15 horas, haverá nova audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT), em Niterói, na segunda tentativa de conciliação entre as partes envolvidas na questão. No entanto, para a diretoria do Sintronac, não há intenção, por parte dos administradores da UFF, em honrar o compromisso firmado no contrato de prestação de serviços com a empresa terceirizada, que, por sua vez, alega que não tem como pagar os motoristas sem o repasse do dinheiro pela instituição de ensino.

“Cumprimos o prazo legal de esperar até o quinto dia útil do mês para a efetuação do pagamento dos salários dos rodoviários. Como não ocorreu, não dá mais para esperar, pois os trabalhadores dependem de seus salários para sustentar suas famílias. Não se chega para um trabalhador e se diz apenas que não precisará mais dos serviços dele. Há uma legislação a ser seguida”, afirma o presidente do Sintronac, Rubens dos Santos Oliveira.

A diretoria da Luso Brasileira afirmou, em comunicado enviado à UFF, datado de 25 de março de 2019, que a universidade está há sete meses atrasada com o pagamento pela prestação do serviço de motoristas de ônibus e que, por isso, dia 25 de abril, encerrará o contrato.